André Alex ao lado de Chung Won Choue Presidente da WTF recentemente nos EUA



Tkdlivre - Você participou em Las Vegas do primeiro de uma serie de exames internacionais promovidos pelo Kukkiwon em vários paises. Como foi esta experiência?

André A Lima -
Em fevereiro o Kukkiwon dirigiu 2 dias de seminários e exame de faixas para graduações entre o 3º e 7º Dan. Este exame dava oportunidade especial para indivíduos que estão no TKD há muitos anos sem o reconhecimento do Kukkiwon, o qual ainda possui o diploma de maior credibilidade internacional no TKD Olímpico. Neste exame também foram permitidos testar os indivíduos que estavam atrasados nas suas graduações, tiveram a oportunidade de pular vários Dans para a graduação merecida desde que apresentassem documentos e técnica para comprovar o pulo de graduação. O lado negativo deste evento foi a tentativa de alguns que já não estavam praticando há mais de 10 anos, voltaram a treinar de ultima hora para tentar tomar vantagem da oportunidade. Haviam 300 inscritos no exame, porem só testaram cerca de 220. Um grupo grande desistiu logo no primeiro dia de seminário, pois perceberam que não bastaria pagar para receber a faixa. A coisa não foi fácil.

Os 8 Mestres do Kukkiwon que vieram dirigir o seminário e exame foram bem rígidos e a maioria dos participantes não estavam preparados, muitos só praticam Poomsae de vez em quanto, notava-se claramente que mestres renomados e ex-lutadores estavam confusos nos movimentos, sem forca explosiva nos braços, muitos treinaram somente uma ou duas semanas para o teste, aprendendo seus Poomsaes de ultima hora.

Tkdlivre - Como você se saiu no exame e como foi a participação dos outros brasileiros?

André A Lima -
Eu testei do 6º para o 7º Dan e já tive a minha aprovação confirmada no mesmo dia pelo diretor do Kukkiwon, porem o resultado geral ainda não saiu. Havia outros três brasileiros no exame que eram o Luiz Lee de São Paulo, ele estava tentando saltar do 1 para o 6 Dan, pelo tempo que possui no TKD, porem deve ser reprovado pois nao sabia fazer 2 Poomsaes, o Nilson ´Soneca` de Pernambuco que e 6º Dan da CBTKD estava também tentando saltar do 1º para o 6º Dan do Kukkiwon, porém teve uma distensão muscular na perna, no dia anterior do exame e fez os movimentos em câmera lenta, não se sabe ainda se eles vão levar isto em consideração. O último do grupo brasileiro foi o André Oliveira, faixa preta dos anos 70 de Brasília, ele vive e tem uma academia em Denver no Colorado, o André Oliveira estava tentando saltar do 5º para o 7º Dan e fez um bom exame e deve passar.













André Oliveira, Mestre Park e André Alex Lima no teste do Kukkiwon em Las Vegas 2009




Tkdlivre - Visto que estão organizando um exame semelhante aqui no Brasil também pela Kukkiwon, que dicas você daria aos companheiros do nosso país?

André A Lima -
Devem treinar por uns 2 meses, pois o exame não vai ser moleza, muitas vezes 40% dos candidatos são reprovados. Eles colocam muita pressão psicológica e o problema principal e que o pessoal treina na ultima hora achando que ´pagou: passou`. O exame e composto de: quebramento, Kyrugi e Poomsae, o mais importante são os Poomsaes. Teve gente que fez oito Poomsaes, a luta foi pouco importante; eu só lutei uma vez durante um minuto. Outra coisa que vi acontecer foi muita gente sofrendo distensão muscular e desistindo. Nos dois dias de seminário passávamos 8 horas diárias repetindo e adaptando as formas, 4 horas pela manha e 4 horas pela tarde. Vi uns 10 participantes sofrerem distensões no ombro e na parte traseira da perna, quando executavam o chute Ap Tchagi ou Yop Thachi com explosão, talvez porque estes chutes são pouco usados no TKD moderno, aliado ao fato de muitos dos participantes já não treinarem constantemente, mas queriam fazer bonito estes movimentos durante as 16 horas de seminário.

Tkdlivre - Neste seminário do Kukkiwon eles finalmente ensinam a maneira certa de fazer Poomsae?

André A Lima -
Honestamente eu já vi muitas maneiras certas de fazer o mesmo Poomsae, eu em particular sei fazer todos ate o 9º Dan (Ilyeo); e todo mundo que eu encontro sabe “uma maneira certa” por uma razão ou por outra. Atualmente, o melhor que um especialista em Poomsae pode fazer e não dizer que o seu jeito de executar e o correto, pois a competição de Poomsae sempre vai ter uma porcentagem de imprecisão, assim como na Ginástica de Solo ou no Nado Sincronizado. A regra sempre vai estar incompleta e sempre vai sofrer mudanças. Existem, atualmente, gestos mais específicos que estão sendo usados em competições e mesmo assim nem todos os competidores vão fazer exatamente igual, basta observar os vídeos do ultimo mundial para comprovar. Aqui nos EUA a seleção nacional de Poomsae já desenvolveu um programa de preparação física especifica para o Poomsae com circuito training e exercícios pliométricos específicos para os braços, pernas e movimentos de equilíbrio. Eu mesmo fiz uma pequena preparação física para este exame do Kukkiwon, copiei exercícios específicos que estão em vídeos no site da Federação Norte Americana de TKD.

Tkdlivre - O que você acha do futuro das competições Mundiais de Poomsae?

André A Lima -
O futuro e promissor foi um grande passo para desenvolver outro enorme grupo competitivo dentro do TKD inclusive de atletas acima de 30, 40 e ate 50 anos que querem competir internacionalmente em alto nível. A maneira mais inteligente de procurar a vitória nestas competições e estar a par do que a maioria dos juizes busca na performance. O melhor para um atleta e ser conservador tecnicamente, desenvolver um programa de preparação física para apresentar movimentos precisos e equilíbrio. Eu acredito que o fator que mais impressiona os juizes e a forca e explosão nos movimentos. Acho também que no Poomsae vai ser muito mais fácil para o juiz ´roubar` do que na luta por ser um processo subjetivo, indefinido e sujeito a interpretação pessoal de uma pessoa, o melhor para os brasileiros e descobrir quem são os juizes principais e trazê-los ao Brasil para seminários, aprender o ´jeito certo` deles e criar uma boa amizade.

Tkdlivre - Recentemente você teve uma oportunidade inédita de participar de um jantar privado com o 10ª Dan presidente a WTF Chun Woo Choue.

André A Lima -
Fui convidado para o encontro privado pelo GM Sang Min Cho e Yeo Jun Kim, o presidente Chun Woo Choue fala muito bem inglês e foi atencioso com todos os seis convidados do jantar, todos eram 9º Dan, eu era o menos graduado da mesa. O esforço do presidente Choue atualmente esta voltado totalmente para manter o TKD nas olimpíadas visto que o nosso destino Olímpico vai ser colocado a prova em outubro na Europa, quando haverá uma votação do Comitê Olímpico em que se decidira entre outros esportes como o Karate, Squash, Golf, Rugbe e etc…quem ocupara a vaga nas Olimpíadas de 2016.

Tkdlivre - O que mais ocorreu de interessante durante o jantar?

André A Lima -
Durante o jantar todos recebemos do Presidente Choue um livro recém publicado com a historia da WTF e vários detalhes sobre a trajetória do TKD ate chegar as Olimpíadas, no livro de 200 paginas não consta a historia milenar de 2 mil anos. Este novo livro diz que a WTF surgiu nos anos 70 tendo origem nos Kwans e em nenhuma página o TKD é chamado de arte marcial, mas sim de esporte olímpico que chegou a um estagio elevado de desenvolvimento em menos de 40 anos.

Tkdlivre - O que você sabe sobre a separação entre a WTF e o Kukkiwon?

André A Lima -
Esta separação entre a WTF e o Kukkiwon ja estava acontecendo há muito tempo, só que ninguém prestou muito atenção. Quando eu estagiei na Coréia em 2003 as duas entidades já estavam separadas; o Kukkiwon já não era mais o ´Quartel general do TKD`, mas sim a ´Academia Mundial de TKD` visto que a WTF retirou o seu escritório e funcionários daquele prédio e abriu outro escritório bem maior em um arranha-céu no centro de Seul.

Depois da saída do Un Yong Kim, o antigo presidente da WTF e do Kukkiwon ao mesmo tempo, as duas entidades elegeram dois presidentes diferentes, a WTF presidida por Chun Woo Choue e o Kukkiwon por Woon Kyu Uhm. Por muitos anos a WTF sobrevivia e pagava as despesas com o dinheiro enviado das varias partes do mundo como pagamento dos milhares de diplomas do Kukkiwon. Com a globalização do TKD a secretaria de turismo do governo coreano começou a dar uma verba anual para WTF e com a inclusão nas Olimpíadas e potencial turístico que traz para o país a verba foi aumentando e os convênios milionários com empresas privadas e multinacionais como a Adidas fizeram com que a WTF já não precisasse mais do dinheiro dos diplomas que vinha do Kukkiwon, então o quartel general que no passado foi fundamental para o desenvolvimento do TKD, perdeu a sua importância, sendo rebaixado simplesmente a departamento de graduações.

Tkdlivre - Você acha então que o Kukkiwon vai perder a força e prestígio?

André A Lima -
Eu não posso responder esta pergunta mas posso especular o que esta ocorrendo. Nos últimos meses a coisa ficou confusa visto que a WTF esta montando um novo departamento de graduações e apareceu com uma carteirinha que além de ser barata parece que foi feita para tomar o lugar dos diplomas, e a União Européia de TKD também esta desenvolvendo o seu próprio sistema de graduações. No entanto o certificado do Kukkiwon continua até este momento sendo a identificação de maior credibilidade internacional e aparentemente está tentando corrigir os dois grandes problemas que apresentava: uma tabela de preços diferente para cada pais, visto ser muito caro para a realidade econômica de vários paises, e diminuir a burocracia e complicação para se obtê-lo. Por isto o Kukkiwon resolveu viajar aos paises para testar e certificar os mestres. No momento o Kukkiwon não perdeu força, mas se a tal carteirinha da WTF se tornar a identificação principal no TKD o futuro do Kukkiwon terá o mesmo destino dos ´Kwans`, vai perder a força e prestígio com o passar das décadas.

Tkdlivre - O que você tem a dizer sobre esta confusão com a Federação Cearense de Taekwondo.

André A Lima -
A historia do TKD no Ceará é simples, começou com a minha chegada naquele estado em 1983, eu montei a primeira associação oficial e o departamento técnico em 1986 que era ligado ao pugilismo. Fui para a Europa em 88 e entreguei o comando do TKD Cearense ao meu aluno Adalberto Benevides ate que em 1993, o também aluno Halder Gomes assumiu o comando e montou a Federação de TKD do Ceara FTC e foi presidente por 3 mandatos. Em 2002 assumiu o comando da Federação o Paulo Sartori que era do Rio Grande do Sul e tinha sua academia em Fortaleza. Em 2007 o Paulo foi para a Alemanha e o Fabio Ronin assumiu a presidência e inclusive organizou a Copa Brasil de 2008 no Ceará. Misteriosamente e sem eleição o Fabio Ronin foi comunicado que havia outra Federação no Estado do Ceara e não pode votar na ultima eleição da CBTKD. A ´trambicagem` foi feita com documentos e assinaturas falsas, inclusive a minha associação que foi a primeira do estado foi usada na trambicagem e a minha própria assinatura foi falsificada.

Tkdlivre - O que você acha da eleição do GM Jung Roul Kim como novo presidente da CBTKD?

André A Lima -
O GM Jung Roul Kim era o pior de todos os candidatos nesta eleição e ganhou na sorte. No Nordeste ele e conhecido como o lixo do TKD e tem fama de pilantra e charlatão. Pilantra por ter ´perdido` os papeis da verdadeira Federação Cearense e ter aceitado a trambicagem da tal Federação paralela e charlatão porque anda por ai dizendo, e ainda sustenta, que o Taekwondo é uma Arte Marcial milenar, uma farsa que já foi desmascarada.. Com este individuo no poder tomando decisões inúteis o TKD brasileiro vai andar para traz. O GM Jung Roul Kim já iniciou o seu trabalho na CBTKD fazendo ´cagadas`. Como é que ele perde os papeis da verdadeira Federação Cearense na época da eleição?

Tive conhecimento que ele não gostou do conteúdo de uma entrevista que dei aqui no TKDLIVRE anteriormente, matéria na qual falava sobre a verdadeira história do TKD. Não tive intenção nenhuma de ofendê-lo, mas em vez de ficar chateado comigo ele deveria demonstrar os seus conhecimentos milenares no Taekwondo e Taekyon e apresentar uma árvore genealógica consistente do TKD, basta os últimos mil anos... Seria bom que o fizesse, pois adquiriu reputação de mentiroso na frente dos seus alunos que já não estão acreditando mais nas suas histórias.

Tkdlivre - Como seria esta árvore genealógica?

André A Lima -
Toda artes marciais ou esportes de combate tem uma arvore genealógica de sua existência, algumas fazem uma regressão no tempo de ate 300 anos com nomes, fotos, desenhos e historias sobre os predecessores do estilo. Por exemplo, nas outra duas lutas que eu sou faixa preta, o Karate e o Jiu Jitsu conseguem faze-lo facilmente, o Karate tem a seqüência de predecessores ate o século XIX em Okinawa e antes mesmo quando teve origens na China. O Jiu Jitsu da família Gracie teve origem com o Conde Koma (Matsue Maeda) que chegou ao Brasil no inicio do século XX para ensinar Judô e Jiu Jitsu, assim teve origem o Jiu Jitsu Brasileiro desenvolvido pelos Gracies, mas pode-se facilmente fazer uma enorme arvore genealógica dos predecessores Japoneses antes do Conde Koma, os quais estão catalogados nos livros e arquivos da Kodokan. O TKD não possui árvore genealógica compatível com a sua ´história de 2 mil anos` pois o que tem só vai até a década de 40.











André Lima no Jiu Jitsu executando um triângulo com chave de braço




Tkdlivre - Falando agora de Mixed Martial Arts, qual o potencial do TKD para lutar nas competições de MMA?

André A Lima -
O TKD sozinho não funcionaria, mas o potencial do TKD e enorme, evidentemente têm que ser combinado com outros estilos. O Jiu Jitsu e uma combinação ideal, também uma luta que usa as mãos seria um bom complemento. Tem vários campeões de MMA que vieram do TKD, o Marcos Ruas do Rio de Janeiro, cujo e um grande amigo meu, foi faixa preta do Mestre Woo Jae Lee na transição dos anos 80, acho ate que seria interessante o site fazer uma entrevista com ele no futuro, deve ter uma visão interessante do TKD. Tem o Anderson Silva, atual campeão do UFC, também e faixa preta do Sul do Brasil. Dos estrangeiros o mais conhecido e o Bas Rutten que pegou a faixa preta de Taekwondo na Holanda antes de ir para o Thai Boxing e MMA. Hoje em dia ate o próprio Jiu Jitsu tem que se combinar com outras lutas para entrar no ring. A dinâmica dos chutes de TKD quando adaptadas para o Vale Tudo e muito eficiente e o Jiu Jitsu e uma combinação mortal para o TKD. O Helio Gracie falava que ensinar Jiu Jitsu a um Karateca ou Taekwondista era equivalente a ´Dar asas a uma Serpente`.

Tkdlivre - Como você descreveria o lutador do futuro?

André A Lima -
O lutador do futuro já e o lutador de hoje em dia, ele pratica o seu estilo principal, mas ao mesmo tempo e multidimensional, sabe lutar no chão e em pé. Essa e a versão moderna do lutador de artes marciais, resultado da revolução mundial do Jiu Jitsu brasileiro a do MMA. No momento em que o individuo decide ser um profissional das artes marciais, hoje em dia, deve buscar condições de treinar, trocar conhecimentos e idéias com o pessoal de outras lutas. Com o passar dos anos, praticando somente um estilo, a pessoa fica muito limitada não só na parte física e técnica, mas também na parte mental. Cada estilo faz uma lavagem cerebral no praticante como parte de um processo, esta lavagem cerebral dita a maneira de pensar e raciocinar. Eu passei por três lavagens cerebrais, aprendi a lutar e aprendi a pensar de três maneiras diferentes, o sujeito que só aprende um estilo tem uma visão parcial e muitas vezes defeituosa da sua própria arte.
 
 
Fonte: http://www.tkdlivre.com/index.php?option=com_content&view=article&id=365:tkdlivre-entrevista-andre-alex-lima&catid=6:destaques&Itemid=3